Educação de valores e emoções já!

O grito mais urgente na agenda da nação!

O filho comete uma, duas, três pequenas falhas.
O pai sabe. A mãe sabe e os irmãos também.
A família se cala. A família consente.
E lá se vão os valores familiares…

O aluno cometeu um, dois, três pequenos deslizes.
Os colegas sabem. Os professores e direção também.
A Escola se cala. A Escola consente.
E lá se vão os valores educacionais…

O jovem cidadão comete uma, duas, três infrações menores.
Os membros da Sociedade sabem.
A Sociedade se cala. A Sociedade consente.
E lá se vão os valores sociais…

– Afinal, quais são os limites? Tudo é permitido? É proibido proibir?
Até onde é possível ir? Vamos experimentar novas emoções?
– Que tal beber “quentão” na festa junina da escola? Que sensação!
Tudo bem. Podemos ir mais em frente. Nada aconteceu.
E agora? O que vamos aprontar? Qual será a próxima emoção?
– Apostar um “pega” no carro do papai? Que liberdade! (nas conversas em família e com amigos todos comentam as peripécias do adolescente: “um verdadeiro ás no volante”).
Tudo bem. Podemos continuar nada aconteceu.
– E hoje? Qual é a emoção do dia? O que faremos para passar o tempo?
– Jogas ovos nos transeuntes? Que massa!
– Mostrar o “bumbum” pela janela do veículo?
– Pichar as paredes do bloco?
– Quebrar os orelhões?
– Dar tiros nas placas de trânsito?
– Tudo bem. Podemos avançar mais. Nada aconteceu.
– E nesta madrugada? É preciso uma emoção diferente, a maior de todas.
– Qual? Olha ali, um mendigo deitado, dormindo na parada de ônibus!
– Vamos comprar álcool e fazer uma pequena fogueirinha?
– Só quero ver o pulo que o cara vai dar.
Um fala. Os outros calam. Todos consentem!

O momento do martírio pegou a Sociedade adormecida.
A família estava calada. A família consentiu.
A escola estava calada. A escola consentiu.
A igreja estava calada. A igreja consentiu.
A sociedade estava calada. A sociedade consentiu.
O governo estava calado. O governo consentiu.

O momento do martírio acordou todos que dormiam.
O desatino, a insanidade e a impunidade haviam ido longe demais!
Um grito de emoção sai em uníssono da boca do povo brasileiro.
Um grito comandado pelos autênticos valores da cidadania.
– Basta. Não vamos ficar calados. Não conseguimos mais.
– Outro grito de razão soa claro e urgente.
Outro grito comandando a inclusão de um novo item na Agenda da Nação Brasileira para o 3º Milênio.

– Educação de valores e emoções já!
Na Família, na Escola, na Igreja, no Governo e em toda Sociedade.

Cosete Ramos

Márcia Dias

Direção Pedagógica